terça-feira, 27 de dezembro de 2011

De Jingo Bell a Reveillon

Seja bem vindo dia 26, 27. 28, 29 e 30
No abraçamos e festejamos e se encontramos no dia 31
Até la matamos, invejamos, não damos importância ao amor, calma, é tudo normal!
Fazemos a obrigação do dever de casa das datas especiais e quem sabe nos encontramos no caranval!!!




Voltarei a escrever dia 02/010/11! Estarei em uma galaxia distante onde não haja vida, estarei navegando!

Beijo a todos e muita alegria em todos esses dias que cercam!

Vitinho Andrade

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Banda Era do Kaos






Bom galera, essas são as fotos da estréia da Banda Era do Kaos, no Gaúcho(Tchê Lnches) na cidade de Itaperuna, um show ensaio, fico feliz pelo reconhecimento de todos, e dos inúmeros elogios da rapaziada que estava presente!
Apesar de tudo, fomos aplaudidos por pessoas que não precisam desse sistema musical mascarado que visam o capital e a masturbação mental para se promover!

Bom, estamos na estrada!

Era do Kaos:

Vocal: Vitinho Andrade
Guitarra: Dyegão
Guitarra: Cassio TRR
Baixo Felipe Barcellos (Marlei)
Bateria: Danilo Verdan


Obs: Para ampliar as fotos é só clicar em cima!!

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Eu sou o seu risco ( Arrisque-se)

EU SOU O RISCO que voce corre
atravessando a avenida principal
… sem olhar ou se dar conta
de que atravessa fora do sinal
sem levar em conta ou olhar
para o tráfego que passa
sem contar com os carros
sem contar os carros
correndo pela rua como uma doida varrida
correndo na contra mão no meio da pista
correndo atrás para fugir da vida
correndo como corre um carro de corrida
que não para nos boxes para trocar pneus
correndo ate que a gasolina acabe em pane seca
a um palmo da linha de chegada…
EU SOU O RISCO que voce corre num carnavalde acabar fazendo amor embriagadacom um desconhecido na madrugada
sem camisinha sem pílula sem nada
só porque se sentiu excitada
descontrolada e carente
capaz de, de repente, alucinadamente
fazer amor com mais de um…
um na frente outro atrás
dois dentro e outro na mão
pedindo mais … mais …mais!
enquanto, de fora, vendo,
há mais três esperando a vez
e você fazendo o que nunca fez
porque só correndo riscos assim
acaba se lembrando de mim
EU SOU O RISCO que a cabeça de fósforo riscana lixa da caixa de onde saiupra por fogo num mundo que nunca existiu
acendendo um cigarro mata–rato
uma boca de fogão pra cozinhar feijão
o pavio da dinamite que vai mandar tudo pelos ares
como se fosse lava de vulcão
EU SOU O RISCO que você corre
de tomar um banho
de um traficante

um cara que nunca viu antes
numa esquina sinistra da cidade
onde ninguém te conhece como eu
onde você procura a chave de um cofre
um colar de pérolas, uma carta, um camafeu
ou tudo aquilo que escondendo de mim
você largou por aí e de você se perdeu
EU SOU O RISCO que pode te levar à morteou te dar a sorte de ganhar na loteria
apostando uma merreca num sorteio acumulado
ficando bilionária da noite para o dia
correndo o risco de ser sequestrada
bajulada por um bando de gentinha safada
adorada por pessoas frívolas que te acham simpática
cortejada por um bando de bichinhas tricoteiras
que querem te proteger das máquinas
máquinas de moer carne e ossos
máquinas de lavar calcinhas manchadas
EU SOU O RISCO de ser esse bilhete lotérico
que te enriqueceria
um bilhete que você acha que perdeu
não lembra em que bolso da calça enfiou
e corre o risco de começar a achar que
eu sou essa calça que você usou
a calça que contém o bilhete da sorte
a calça que eu tirei quando você me ganhou
a calça que escondia aquela calcina
a calça que, agora, está na máquina da morte
máquina de lavar memórias sujas
máquina de lavar calças usadas
e calcinhas úmidas…
EU SOU O RISCO que você corre de ser enganada
sendo feliz por um triz
ficando perdidamente apaixonada
pela pessoa errada
EU SOU O RISCO que se você não corrersua vida não vai valer nada
EU SOU O RISCO que você corre
quando as  pernas lhe faltam

sou como a última carta do baralho
o último dado a ser lançado
a peça do dominó que falta na mesa
a última vez que a roleta gira no cassino
a bala que falta no tambor do revólver
o dedo que está no gatilho
e roda a roleta russa
o tiro sai pela culatra
o destino, a carapuça…
EU SOU ESSE RISCOessa falta que nem falta faz
essa dor que não dói nem passa
essa sensação de perda
que a gente ganha quando a vida é derrotada
essa derrota que dá prêmios
pela morte, à revelia, conquistada
esse jogo sem fim
em que não se pode perder
nem uma única jogada
o risco fatal de se reconhecer um assassino
durante uma extraordinária gargalhada
EU SOU ESSE RISCO mecânico
o risco de rir da pessoa errada
na hora certa…
o risco que não lhe deixa alternativa
ou é tudo ou não será nada!
o risco que vai te levar pela mão
até onde não haverá mais chão
até onde o teto cai na tua cabeça
enquanto as paredes desabam
lá, onde o horizonte fica muito longe
onde não se vai à toa
e de onde não se volta nunca mais
EU SOU O TEU RISCO: me assume
e aceita a minha paz
vai  … arrisca: eu garanto que não há o que perder
mas não esqueça: se você ganhar alguma coisa, avise!para que eu me sensibilize
eu sou teu único risco:sou só teu!sem você eu não sou nada:  nada demais!
só um risco de grafite numa parede
um risco de giz num quadro negro
de uma escola demolida a cusparadas
um risco de vida
para quem não pode arriscar nada
gente que não vai nem pra frente nem pra trás…
gente paralisada pelo medo de arriscar a vida
gente para quem a vida não é nada demais…
vai: arrisca …. arrisca … arrisca…
eu sou a tua paz!
o teu risco de vida
o teu nunca mais
o risco do diamante no vidro
o risco de pegar Aids
o risco de ter um ataque cardíaco
o risco do bordado que não se borda mais
EU SOU O TEU RISCOaquilo que sem você nunca existirá
e que, com você, fará o possível
para que você se arrisque
e deseje da vida arriscada
mais … mais …mais!


Vitinho Andrade

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Ah, meu amor desses tantos modos!

O meu amor é axé!
E assim, é canibal
O meu amor é popular brasileiro!
E por isso, eu te devoro
O meu amor é carnaval!
E meu coração explode na maior felicidade
O meu amor é rock!
E você me faz tão bem
O meu amor é romântico!
E como é grande o meu amor por você
O meu amor é engraçado!
Às vezes, hilário!
E eu como uma onda no mar
Ah, o meu amor...!
Tão cantado e tão falado...
Nunca explicado
Apenas deixo me consumir
E sou consumido, por profunda
Por profunda paixão que tenho...
Paixão por viver
Viver pensando em você
Ah... deixo sentir
Mesmo que sentido... às vezes me pego sorrindo ...
Quando lembro de você
Sinto em você...
Ah, o meu amor...!


Vitinho Andrade

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Um pouco mais do seu veneno

Chegamos a um motel, você me diz que vai tomar um banho, eu asceno com a cabeça que sim, em seguida abro um vinho!

Tomo enquanto você se acaricia e lava toda sua vergonha e timidez em uma ducha que jorra uma água perrier!

Quando percebo que o barulho do chuveiro está desligado, foco meu olhar para a porta como se olhasse para o infinito e tentasse procurar o fim que nunca vai estar lá! Você sai linda deslumbrante vestida como uma camisola branca, uma camisola que se insinua, mas esconde o pecado que eu irei concerteza cometer, debaixo uma cinta liga com uma lingerie vermelha, uma calcinha bem pequena que mostra toda sutileza de uma princesa com a voracidade carnal do fogo que desejas.

Senta ao meu lado, pega da minha taça e sem pedir bebe do meu vinho, como bebesse a minha alma inteira!

Meu olhar continua fixo em seus olhos como se eu quizesse penetrar nos seus desejos e toda completude do seu ser!

Ela diz:

_Coloque um som para gente?

_Ei ainda atordoado pelo momento respondo:

_O que preferes? ( Com um olhar que tudo quero, mas ainda nao posso).

Ela se vira com aquele olhar quase me despindo e diz:

_Um Lounge, é bom!

Dito e feito!

Volto para seu lado, ela me diz!

_Você esta nervoso, ou eu que estou te deixando nervosa?

Nao respondo nada, apenas um sorriso, um sorriso que ela percebeu que me deixou sem graça!

Ela pega novamente a garrafa de vinho enche minha taça, eu pego a dela, ela logo fala!

_Não precisa! E bebe na garrafa mesmo!

Passado o quebra gelo, eu sem esperar me da um beijo e começa acariciar meu corpo, eu ainda meio sem jeito, ela me beija com uma lingua fosse a estrela a navegar pelo céu da minha boca, pega minha mão e coloca a mão sobre a sua bunda, eu acaricio, enquanto ela da uns baixos e leves susurros no meu ouvido, falando baixinho:

Você me quer?

Ela então vem me beijandodeslizando sua lingua para baixo. eu ja não estava mais em posse de mim!

Ela chega na altura de minha cintura e me empurra, meu corpo cae sobre a cama, ela debruça na cama, e começa a brir minha calça com um olhar de alguem que quer descobrir alguma coisa!

Logo tirada a calça, ela se depara com meu pau duro e latejando, ela apenas ve e bate uma punheta bem leve para mim, com sua mao, que nenhum nivea jamais ousou fazer!

Com sua boca molhadinha, ela chupa em um sentido que me deixa louco, e chupa e chupa echupa!

Passa a lingua na cabeçinha, ate eu nao aguentar mais!

Enquanto ela chupa, elafala:

_Que pau delicioso, como eu gosto de chupar!

Em um ato quase insano ela se levanta tira a camisola abaixa a calçinha e senta no meu pau!

_Quero cavalgar nesse pau! Diz ela!

Sobe e desce, desce e sobe, ela geme altopula forte!

Levanata e de bundinha para mim, pula no meu pau, diz querer leitinho!

Ela diz:

Da leitinho para sua putinha da! A essa altura toda sensualidade se esvaiu, e naquele momento era so prazer e instinto algo existencial, altamente explosivo como no Talibã!

Ela se levanta fica de 4 e pede quase que implorando:

_Mete esse pau gostoso na minha bunda vai, mete na sua putinha vai!

Eu eterno escravo do prazer, a essa altura, ja dominado por ela, atendi seu pedido!

Segurei em sua cintura e coloquei meu pau, ela dizia :

Vai mete gostoso, enfia tudo! Enquanto eu estocava meu pau dentro, ela rebolava e pedia mais!

_Isso que gostoso! Mete vai!

Quando tava gozando meio que surpreso, ela disse:

_Não goza, pois eu tenho uma surpresa para você!

Eu ainda meio espantado, mais com o te~sao a 1000, fiquei atento esperando ela dizer!

De 4 ela arrebitou mais a bundinha e disse, quero experimentar no cuzinho!

Eu fiquei espantado e ao mesmo tempo com mais vontade, ela continuou:

_Enfia esse pau no meu cuzinho gostoso!

Dito e feito, coloquei de vagarinho, ela gemia, e pedia mais vai, coloquei a cabecinha, ela disse:

Poe tudo que eu to gostando, vai enfia!

Coloquei tudo, ela disse:

Aiiiiiiiiiii!

Ta bom demais agora mete!

Segurei em seus longos cabelos, e meti forte, indo e vindo, indo e vindo! Quando gritei:

_Ai nao vou aguentar vou gozar!

Ela tirou o pau do seu cuzinho, abriu a boca!

Atendi seus gesto, e quase em uma teoria psicomotora, contrair os musculos, fechei os olhos e jorrei todo meu gozo em sua boca, ela lambeu, e disse:

Quentinho, bom demais!

Tomamos banho juntos, nos vestimos, tomamos mais um pouco de vinho, batemos um papo!

Depois que abrimos a porta do infinito, nos perdemos nele!





Vitinho Andrade

sábado, 5 de novembro de 2011

Ser poeta

A poesia não está no papel
está na vida
vista e sentida por olhos sensíveis
e corpos que se permitem ir além
por almas que ousam
interiores que gritam
Ser poeta um dia é fácil
Dificil é ser-lo sempre
fácil é amar
dificil é libertar a quem se ama
libertar as palavras que inflamam
mais dificil mesmo não é libertar
nem amar, criar, ousar
Dificil é ser
um ser contido no mundo
e conter o mundo dentro de si!


Vitinho Andrade

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

1 segundo antes da morte ainda é vida

Fui ao enterro. Não retornei à vida, fui ao enterro de mim mesmo. O leitor acharia muita graça no cortejo; a morte reduz os homens, todos carregando seus próprios cadáveres às costas. Aquele foi meu momento, momento derradeiro. Mas isto não é natural, nem grave; como querem os teóricos do fim. É acidente. A conservação do mundo depende da necessidade de ter o vazio ocupando o espaço da eternidade.



Todo o respeito que me faltou em vida me veio após o falecimento; na presença de meu corpo morto, luto circunstante, círios lúgubres e venerados, cantochão clarividente, orações fúnebres, duas velas enormes lançando a chama irônica da vida, esquife bem escolhido, féretro que sustentaram meus restos mortais quase podres, panos roxos que disfarçaram o cristão que não fui; réquiem do inferno, lágrimas e risinhos aos cantos, sepultamento em campo santo, suntuosa cova, catacumba, túmulo, tumba, sarcófago, jazigo, mausoléu – ah! O diabo que carregue! Por fim, dizeres pomposos gravados no epitáfio: Porra! Última morada.



Graças ao bom Deus conheço a morte. O estimado amigo e a minha tão querida amiga, a lerem este fluido de vida, não podem sentir o gosto sujo da morte. Não riam. Eu posso! Garanto que é amargo, mas não é de todo desagradável; tem gosto de café sem açúcar. Senti também, bem íntimo, o aroma da bajulação ao meu cadáver, em velório, em dia de finados, em dia de sol e chuva; e os desgraçados fazendo piadinhas a amenizar a dor... Dor? Dor! Já vi tanta revolta contra a morte. Pobre morte! O que tem ela a ver com o sofrimento dos homens? Não culpem a morte. Ela apenas cumpre o seu papel, de vir buscar a alma; como o coveiro cumpre o dele, de enterrar o morto até a última pá de terra; as mulheres também têm seu ofício, de chorar ao velório; assim como os homens, que têm por obrigação discursar sobre e sob o cadáver alheio.



- Que será de mim e de meus filhos, meu Deus? Esse filho da puta só me deixou indagações e umas porcarias de livros cheios de traças – foi este o lamento de minha querida viuvinha ao deparar-se com minha perda, doce e sensível entre a detestável mãe e o padre que não me deu a extrema-unção por falta de dinheiro. Ah, pro diabo, padre do caralho! E Mariana já se encontrava viúva antes de minha morte. Que a violência seja expota a todos que irão contra a moralidade atual!

Não se horrorize tanto, caros amigos. Mas conto tudo agora, a absoluta verdade, pois a morte desmancha a última máscara da vaidade. Caro amigo, fui o mais feio, monstruoso e horrendo cadáver; jamais desejado ser visto. Não tive forma nem figura humana. Conservaram-me coberto em vagabundo caixão de vime, lacrado; e no mesmo dia sepultaram-me, quase clandestinamente, pelo temor. Fui à cucuia. Lembra-se de como descrevi há pouco meu funeral? Como não?! Deixe de preguiça, meu amigo, que no além-mundo já há tédio infinito. Coragem! Torne aí umas poucas linhas e releia-o! O velório não teve a pompa que escrevi no começo do texto, nem vieram tantas visitas em dias santos ou domingos. E, no entanto, ao cerrar os olhos, um homem negro e mal vestido proferiu uma frase à minha podridão:



- Que Deus o receba entre os seus!



Nesta estação descobri a beleza, não a bondade, escondida; como a aranha que tece sua fria teia nos cantos do coração, e cria obra sublime! O homem preto disse ainda, desta feita bêbado, no dia de finados:



- A vida vale a pena!



Tal felicidade que senti ao saber que a vida vale a pena compensa todo o esforço que faço agora para escrever este texto enfadonho aqui do além-mundo. Digo-lhe, leitor, com autoridade de morto, morto de letra morta, que abra a janela; logo pela manhã o céu é azul e claro, e à noite é deslumbrante e estrelado. Venha à chuva lavar a alma, num turbilhão de angústias imersas, até que o sol lhe distraia, perigosamente. Devagar, iluminado, confuso, acidente demasiado existencial. Se a vida e a morte não são contrárias, mas são irmãs, aceito velejar à imortalidade. Que seja minha vida de morto! Deixo-me sorrir, sinto que a triste resignação quer dizer somente: há.



Aqui jaz um ALÉM –HOMEM

Psicografado dentro de mim!



Vitinho Andrade

sábado, 29 de outubro de 2011

O que é o desamor?

Nesse tempo que estive  ausente do blog, muitas pessoas me perguntaram o que é o amor?
Eu respondi que sabia o que era o desamor!!!!!!
Aprendi a me respeitar, a me amar, para depois poder amar ao proximo, quiçá, perceber o sentimento alheio, de uma forma holística onde que aqui mesmo que seja o melhor dos mundos possiveis há todos os sentimentos cabiveis!!!!

Resumindo:

Para compreendermos o que é amor precisamos comprender o desamor !!!!!!

Basicamte e isso!!!

Tire suas proprias conclusões!!!!!!!!!!!!!



Vitinho Andrade

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Ampulheta do tempo

Ampulheta do tempo e seus grãos de areia
velados, insistente em cair sem me consultar
sem me fazer refletir se estou á aproveitar meu tempo
sopro de ar meu pulmão, inspiro gás carbônico
e solto as palavras, farpadas
cozidas em água e sal.
Por vezes solitário
mesmo estando acompanhado.
Olhar longe, distante
no mar ou na lua
em qualquer lugar, tentando de encontrar.
O fio da vida que me separa da morte
é tao fino que não vejo
tao frágil que não sinto.

Parei para pensar nisso !


Vitinho Andrade

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Permita

Permita que seus sonhos vão além
aqueles que não interessam a ninguém
permita que você vá adiante
permita enxergar o horizonte

Não desanime ao fracasso
deixe de lado os conflitos
comemore, comemore
o simples fato de estar vivo

Olhe para frente, seja o front
passo a passo respire fundo
prossiga, se permita, avante
olhe sempre por cima dos ombros dos gigantes!

Vitinho Andrade

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Continue desobediente, meu filho



Continue meu filho desobediente
Haverá paz quando você estiver terminado
Coloque sua cabeça cansada para descansar
Não chore mais

Uma vez que eu me levantei acima do ruído e da confusão
Para perceber por um instante além desta ilusão
Eu estava voando cada vez mais alto
Mas eu voei muito alto

Embora meus olhos pudessem ver eu era ainda um homem cego
Embora minha mente pudesse pensar eu era ainda um homem louco
Eu ouço as vozes quando eu estou sonhando
Eu posso ouvi-las dizer

Continue meu filho desobediente
Haverá paz quando você estiver terminado
Coloque sua cabeça cansada para descansar
Não chore mais

Mascarado como um homem com uma razão
Minha charada é o evento da estação
E se eu reivindicar ser um homem sábio,
Significa certamente que eu não sei

Em um mar em tempestade de emoção movente
Sou lançado como um navio no oceano
Eu ajustei um curso para ventos da fortuna
Mas eu ouço-me que as vozes dizem

Continue meu filho desobediente
Haverá paz quando você estiver terminado
Coloque sua cabeça cansada para descansar
Não chore mais

Não!

Continue, você recordará sempre
Continue, nada se iguala o esplendor
Agora sua vida ja não é mais vazia
Certamente o céu espera-o

Vitinho Andrade

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Acasos do destino

Oi!
Oi!
Posso te fazer uma pergunta?
Fique a vontade!
Que horas sai o ônibus para Governador Valadares?
Olha sai as 8:15
Nossa, ainda são 5:00!
Sim, se te conforta eu também estou indo para Valadares!
Jura?
Que coiscidência boa, é, quer dizer legal!
É legal!
Bom, vou aproveitar e comprar a passagem?
Ok, vai lá
bom, voltei, fila grande!
Sim muito grande!
fiquei quase 3 horas na fila!
Imagino!
Bom, qual é o seu nome mesmo?
Meu nome é Paulo e o seu?
Paula?
Hum
Bom, nosso Ônibus chegou né?
Sim, chegou!
Bom vou me sentar na cadeira 35!
35? Que coinscidência acabei de comprar e o meu numero é 36!!
Serio, só por precaução, qual bairro você mora?
São Vitor!
Serio?
Serio!
Eu também!
Nossa, Eu te amo
Eu também te amo!


Vitinho Andrade

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Azul

Azul então é céu
como pode haver algo tão cintilante
pensei em não querer
mas fui adiante

Azul então é mar
e me entreguei a um mergulho insano
profano, e que me fez sentir
um alivio semelhante ao de respirar

Quando faltou ar
olhei e estava azul
pensei azul então é luz
que reflete colorido
azul como vi brilhando para mim
O que foi mesmo aquilo?

Me chamou atenção no meio de tanta informação!
Atenção, falei atenção!
Não duvide nunca não!

Estou falando que azul agora é infinito!
O azul mais bonito
música para se ouvir dormindo
como em um sonho bordado de azul!

Melodia das estrelas do mar
de um planeta que não se sabe onde esta
nunca vi nada igual!
Azul

Não estou conseguindo explicar muito bem
mas nem vem que não tem
o que vi não posso contar para mais ninguém
só me lembro desse azul

que me confortou a alma
que passou força e calma

Azul e tudo ficou assim para mim
numa linda noite azul

Resposta exata
e não desata
não tem motivo
Azul
tudo se fez derrepente!
Amor de coração carente

La estava o verso
impossível de não ser cantado
não me diga?
da ria medo se não fosse azul
a cor que me fez dormir tranquilo

Vitinho Andrade

terça-feira, 9 de agosto de 2011

A luz do luar

O luar desapareceu
pois eu não tenho mais o amor teu
você se foi e me deixou
buscando em alguém a luz que via nos olhos teus
sem saber
que a luz que refletia era intensa
imensa
que cega até os mais ricos de visão
percebi que essa luz não vinha
nem da luz nem do sol
simplesmente do meu coração
que bate embalado
em uma canção
cuja letra chama por sua volta e seu perdão
uma cancão que a sinceridade
tenta tocar sua emoção
emoção ja não tao sensibilizada
porem explorada pela razão
que me faz sentir uma angustia, um afago
uma sensação que por de trás de cada palavra rimada
presencia suas lagrimas
dessa sinfonia de cantos e prantos
que no fim dessa canção
espero sua resposta
ouvira sua razão 
ou seguira seu coração
o fim ecoa pela imensidão
tentando achar na escuridão
a luz que ilumina meu coração!

Vitinho Andrade

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Sexo Virtual



Como que se possível fosse...
Como se possível é
Assim te deixar louca
Rouca de desejos
Beijos.

Se a imaginação não existisse..
O coração não sentiria
O pulso não pulsaria
E os dedos, ávidos de desejos
Delineasse as curvas,
Os gestos, no teclado
Noite a dentro.

Vadios de nós...
Nos lençóis virtuais
Amar o não visto
Dos gemidos dados
Ouvidos ao longe
Oceanos a dentro.

E nós, desse jeito...
Sem jeito algum
Procurando um jeito de
Se conquistar
Conquistar-se.

E nós reinventando a roda.....
Nos beijos, desejos,
Vontades sem fim.
Como que se fosse possível
Matar todas as sedes
Desse nosso sentir.

Sexo Virtual?
Onde?



Vitinho Andrade

terça-feira, 26 de julho de 2011

Homenagem a Amy Winehouse

A quanto tempo do nosso dia somos julgados?
A quanto tempo do dia julgamos as pessoas?
Estar no mundo, é aceitar todo sentimento, vindo de outrem, e sendo assim, vice-versa.
O mundo é para quem quem tem coragem, de se aceitar, como veio ao mundo, estar preparado para todo tipo de sentimento, que paira por ai, sendo assim, a quanto tempo estamos sendo pisoteados por aqueles que deveriam nos dar a salvação!
Estava em um quarto de hotel, quando liguei a televisão, e a mesma mídia que criticava demasiadamente os atos de Amy Winehouse, que a massacravam, pelos atos libidinosos,por estar  bêbada, drogada, dava os pêsames e a lamentação por uma grande Cantora que foi  Winehouse.
Confesso que não escultava muito suas músicas, mas era fã incontestável, pelo modo que ela se expressava, sua autenticidade, pelo modo, que pessoas como eu o admiravam pelo simples fato de ela ser o que é, e não mas um modelito pré fabricado por ai!
Lamentei muito a sua perda, pois era umas poucas cantoras que representava a verdade musical, a verdadeira rebeldia de se aceitar, que pode ser uma pessoa!
Essa mesma mídia que vivia perseguindo a cantora, a mesma mídia que vivia a falar mal, ficou durante o dia que se arrastava, choramingando com lagrimas de IBOPE, disputando quem sofria mais, a lastimável dor de  perder Amy, isso sim é o verdadeiro show Business!
Amy foi uma pessoa intensa, pessoa de personalidade forte, seus fãs não ficavam se esguelhando ou fazendo loucuras por sua presença, pois ela passava uma imagem Ser Humano como todos nós, sua vida exposta, apenas me confirmou, que por trás de toda sua armadura, ela era uma pessoa romântica, sensível, carente, e que em vez dessa mídia em massa ajudar, apenas vende o produto!
Segundo uma parte de sua musica mais famosa "Tentaram me mandar pra reabilitação
Eu disse "não, não, não", não seguia modelos e nem heróis apenas sua própria dor!
Não estou aqui defendendo ou levantando uma bandeira, das drogas, apenas levantando uma bandeira, da liberdade, de sermos o que quisermos ser, as mesmas pessoas que apontam os erros não apontam mais os acertos, e chorar é fácil, mas fácil do que estender a mão!
Por isso Amy, descanse em paz, em paz com todos os heróis do jazz!
Sentimos sua falta!


Vitinho Andrade

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Vem ai a banda de rock in roll ERA DO KAOS




       ERA

              DO
                                                                         
       KAOS

Vocal: Vitinho Andrade
Guitarra: Diegão
Baixo: José Lair
Bateria: Luiz Phellipe

sábado, 16 de julho de 2011

Queria para mim
esse tempo que é seu
e tão distante do meu
esse dia que só amanheceu
esse pote
que não encheu
essa árvore
que apenas floresceu
essa ilusão
de quem ainda não sofreu
esse sonho
que ainda não se perdeu
Que loucura
querer para mim
esse tempo que não é meu!

Vitinho Andrade

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Estigma

Somos quem podemos ser
omissos, fraco, rejeitados
a solidão faz parte da sua vida
Tudo que você enxerga é uma grande mentira

Somos o que podemos ter
inutilidade, humilhados, calados
pelo nosso medo
submisso a nossos veraneios

Somos o que podemos amar
egoismo, individualidade, desprezo, fragilidade
de nos sentir só,
mas, continuar só

Somos o que podemos errar
machucar as pessoas com sabedoria
e ler com ignorância e deboche
essa poesia

sábado, 2 de julho de 2011

Te quero...te quero... te quero...

te quero em pé 
te quero ajoelhada
te quero de 4
te quero deitada
te quero indo
te quero vindo
ai como te quero!
te quero gorda
te quero seca
te quero molhada
te quero salivando
te quero gozando
te quero gemendo
te quero sorvendo
te quero latindo
te quero uivando
ai quanto querer
te quero até morrer
te quero comida
te quero fornida
te quero torta
te quero morta
te quero cozida
te quero frita
te quero assim
te quero assada
te quero ensopada
te quero mal-passada
te quero menina
te quero moça
te quero no fosso
te quero na fossa
te quero no samba
te quero na bossa
te quero mulher
te quero mãe
te quero fruta
te quero puta
te quero ainda, filha-da-puta


Vitinho Andrade

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Hoje

video

 Hoje

Hoje eu precisava tanto ouvir sua voz
Ter seu olhar e poder te abraçar
Hoje eu precisava tanto te falar
Ao invés de passarmos o dia a sós

Hoje eu precisava tanto de você
Mas longe de mim você estar

Hoje esta tão frio aqui dentro
Hoje era para tudo estar diferente
Mas hoje é que aqui nesse momento
Hoje acabou de acabar


Letra e Musica: vitinho Andrade

terça-feira, 17 de maio de 2011

Desabafo de um homem Solitário

Como um fantasma que se refugia
Na solidão da natureza morta,
Por trás dos ermos túmulos,um dia,
Eu fui refugiar-me à tua porta!
Fazia frio e o frio que fazia
Não era esse que a carne nos conforta...
Cortava assim como em carniçaria
O aço das facas incisivas corta!
Mas tu não vieste ver minha Desgraça!
E eu saí,como quem tudo repele,
-Velho caixão a carregar detroços-
Levando apenas na tumbal carcaça
O pergaminho singular da pele
E o chocalho fatídico dos ossos!



Vitinho Andrade

sexta-feira, 13 de maio de 2011


Minhas noites com Zaratustra


Como a luz poderia exercer outra função que não a de iluminar?
É o mesmo que exigir que a água que se precipita de uma cachoeira
não vá de encontro ao rio.
Algumas coisas simplesmente são e não tente achar explicações para o que não precisa.
O homem julga pois precisa dar valor a existência. Avaliar é criar.
O próprio avaliar constitui o grande valor e a preciosidade das coisas avaliadas.
Somente há valor graças a avaliação, sem avaliação seria vazia a noz da existência.
Mudanças de valores é mudança dos criadores.
Sempre destrói aquele que deverá ser um criador.
Shiva representa bem este conceito.

Por que o homem não consegue amar ao próximo como a ti mesmo?

Porque subverteu o amor.
Confundiu dependência com o nobre sentimento e ao responsabilizar outrem por sua felicidade esquece de conhecer a ti mesmo.
Quem não se conhece profundamente não encontra motivos para se amar de forma simples e pura. É normal que o ego entre e confunda tudo, misture as impressões.

Amar a si mesmo é também suportar a solidão e encontrar aliados nos pensamentos
que nos afligem quando não temos outra alternativa a não ser nós mesmos.
Amar a si mesmo não é considerar-se superior a ninguém, mas pode ser a percepção
de que nossa alma conversa com o coração. O que para alguns pode parecer bobagem, ao
entender-se torna a fidelidade a teus sentimentos uma riqueza imensurável.

Quantos de mim fui capaz de entender, respeitar, ouvir e conhecer?
Se não sei quem sou ao certo, ainda que conviva comigo há 30 anos, preciso descobrir
uma razão que me livre do egoísmo central e me coloque diante desta essência.
Uma vez descoberto esse perfume. Uma vez descoberta a chance de me amar.

Se não for capaz de te conhecer e assumir tuas fraquezas e tuas virtudes.
Se não for capaz de administrar teu ego e tuas necessidades internas, provavelmente
não será capaz de entender os anseios, os defeitos, as limitações e as virtudes alheias.
Logo não poderá amar o próximo como a ti mesmo.
O amor antes de tudo é o conhecimento e a aceitação.
Ao idealizar o outro ou algo sem respeitar suas características primordiais, alimenta
a conta gotas pequenas doses de frustração em tua carne, até que nada mais valha a pena ser vivido.
Ao banalizar o coração e a vida conheces então a amargura e o desprezo por teus semelhantes.

A que veio para este planeta?

Minha vida sempre foi repleta de conflitos e talvez por isso consiga viver e me adaptar tão bem a um cotidiano tumultuado, intenso e conflituoso. Como um guerreiro ou um soldado, encontrei uma zona de conforto na batalha, na guerra e desenvolvi um olhar que me proporciona momentos de pura racionalidade e pragmatismo e outros completamente passionais. Minha busca é saber usar tais ferramentas e tirar bálsamos de harmonia.

Entendo a dificuldade que outros têm de abandonar suas zonas de conforto e partir para o fronte em busca de alguma transformação. Abrir mão do conhecido e do confortável é o primeiro passo para tentar uma mudança. Sem dúvida nenhuma que é uma escolha. Como tomar a pílula vermelha do Matrix e passar e ver um mundo cru e deserto de realidades. Mas uma vez apaixonado e entregue a este objetivo o espírito se fortalece, as cortinas começam a cair, um enjôo inicial pode fazer com que vomite milhares de mentiras que tomava como absolutas verdades e passado este estágio, o equilíbrio parece um pouco mais próximo, a alma passa a fluir pelos poros e para alguns, esse pode ser o verdadeiro sentido da vida.

Encontrei-me fazendo o que venho fazendo e nunca fui tão feliz e tão capaz de fazer alguém feliz. Talvez algum dia consiga transcender algumas barreiras às quais meu ego ainda esteja disfarçado de virtude e nesse dia, encontrarei a porta para escolher entre permanecer sendo um ser vil ou quiçá algo que me transporte para um lugar mágico e sereno onde as diferenças se complementam harmonicamente.

Assim aprendi algo com Zaratustra.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Uma pequena inquietação

Caros blogueiros, amigos, irmaos, e todos os laços que uma rede social pode unir em laços conectados on ou off!

Quando criei esse blog, quis escrever coisas sobre minhas angustias, inquietações, desesperos, sobre verdades e mentiras, sobre o que fez bem a mim ou não!

Fiz alguns amigos importantes que sempre demonstraram amor e carinho por mim, outros que nem tanto assim, me atacaram, e foram alem de ataques sendo altamente maléficos e grosseiro, falaram palavrões e tudo mais! Sendo assim fico feliz pois estarmos na vida, e a vida é para ser vivida com intensidade, Eu Existo, VIVO, SOU EU!
E tenho certeza que essas pessoas querem ver o meu fim, e o fim de vocês kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk  eu ja sei!

Ando buscando resposta constantemente para minnhas questões céticas!

Não encontro!

É como se eu fosse além do que minha simples mortalidade quer alcançar!
Mais uma queda!

Entre o Finito e o Infinito, buscamos algo imaginário, que nao realizamos, e isso é o nosso movimento que gira em ciclos!

Estamos em um eterno retorno!

Viver é mais além do que você possa imaginar!

Viver é aceitar a condição de SER humano, de ter limite, de estar com todas as sensações de liberdade que o ser humano possa escolher, e escolher, escolher..., sim esse verbo é infinito, e muitas vezes constante, e muitos nao sabem, muitos se perdem, acontece que para se achar é aceitavel se perder!

Viver é aceitar a condição de SER humano!
Sendo assim!
 Deus é a nossa maior covardia!

Vitinho Andrade

quarta-feira, 20 de abril de 2011

O ser e o nada... Náusea

Por vezes,
Sinto arrepios
Que me atacam
Trazem frio
É terror do vazio...

Aparece
O mal estar
Tudo roda
Sem parar
Sumiu meu olhar...

Invejo
Quem acredita
Tem crença
E convicção
Bem (ditas)...

Ouço
Um gemido
Como grito
É meu Ser
Mal (dito)...

Este o Nada
Encontra
E se põe
A maltratar
Não ousa acreditar...

O asco
Sobe
Devagar
E a Náusea
Vem me abraçar...

O Ser
E o Nada
Ali estão
Desvelando
Minha solidão...


Vitinho Andrade

Obs: Inspirado nas minhas leituras dos livros de jean Paul Sartre
Náusea e o Ser e o Nada 

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Soneto do desespero

Quando ouço a sua voz,
Tenho medo,
Sinto que nós
Nunca poderíamos
Ficar a sós...
Você já deve ter notado...
Talvez isso tenha te afastado
E a vida assim, te arrastado
Para longe,
Longe de mim.
Suspiro, sabe?
Eu sinto, sabe?
Que eu preciso te encontrar
Numa outra dimensão
Pra ouvir a sua canção...
Um nó quase se formou
Na garganta,
E quase evidente ficou
Porque eu não mais te escrevo
E só apelo prás poesias;
Soneto do desespero.

Vitinho Andrade

segunda-feira, 4 de abril de 2011

A corrente da solidão

A vida passa por teus olhos como um rio

Em cujas águas mal consegues navegar
A solidão é como a pedra do cais frio
Onde tu paras para rir ou então chorar.

A tua vida é como o fogo num pavio
Que o vento forte não consegue apagar
O teu desejo é a correnteza do rio
Levando o sonho que existe em teu olhar.

O teu amor às vezes é tão arredio
Que a tua dor nem sempre toma o teu lugar
Ele se esconde no silêncio ou no vazio
Que há no teu jeito de esconder o teu olhar.


Vitino Andrade

quarta-feira, 16 de março de 2011

Alma perdida

Alma perdida
Bala sem direção
Voce anda pela rua 
Eles te pegam pela contramão
E isso nao e nada
Por causa de sua violencia
Um inocente paga
Ele nem sabe porque morreu
Por causa de sua negligencia
Ele se fudeu
Passeatas de paz
Adianta nada
Gastamos cartas e fala
Meu Deus, onde ja se viu
Bombas explodem a toda hora
Enquanto aqui rola a guerra civil

sexta-feira, 11 de março de 2011

Inferno da alma

 



quarta-feira, 2 de março de 2011

Faça, continue fazendo

Não desista.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Meia noite profunda

Homem, escuta!
O que quer dizer a meia-noite profunda
Tenho dormido, tenho dormido
E de um sono profundo eu despertei
O mundo é profundo
E bem mais profundo do que o dia julgava
Profunda é a dor
E a alegria... Profundo é o amor
A dor diz, " passa"!
Mas toda alegria quer a eternidade
A profunda eternidade!

Vitinho Andrade

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Hoje e o meu aniversario

Hoje dia 05/02/2011, hoje é o dia do meu aniversario, estou muito feliz,de menos e o dia do ano que da inicio a nossa existencia.
Durante o ano, armei muitos confrontos, muitas opinioes, que me fizeram aproximar de pessoas que me tornaram amigos e outros nem tanto, pois opinioes de pessoas pensantes, incomodam uma parcela de gente que nao esta acostumado com o mesmo.
Fiz amigos, amigos sim, isso e importante, para que possamos seguir adiante, fiz alguns amigos, e esses "alguns", pode suar meio pouco, para meus leitores, entretanto, ja vou logo formalizando que são poucos sim, mas nao são comprados.
Terminei o Quarto Periodo da faculdade de psicologia, com muitos, questionamentos, em sala de aula, o que fez que meus amigos de classe se voltassem contra mim, como digo sempre a solidão e que me ensina a ser mais forte, e para qualquer lugar vou sem medo. Fiz muitas indagações, não aceitando grupinho em sala de aula, e opiniões de mesmiçes.
Fiquei de front na politica, opinando, levantando questões, discutindo, fazendo o que todo jovem tem que fazer pois somos o futuro, e quem nao tem presente se conforma com o futuro.
Tive contato com musicos, o que em aguçou o meu lado compositor, que em breve no blog, irei postar composições, amigos escritores, e amigos.
Começei a dar estagio em um lugar onde as pessoas sao julgadas " o lixo do mundo", e aprendi que o HOMEM julga pra da valor a existência e avaliar é criar, e aprendi que os verdadeiros lixos são aqueles que virão as costas para realidade, vivendo em mundo inutil, onde as incertezas fazem parte do seu mundo a todo instante, e que quando chega a noite, toma o seu RIVOTRIL, e apaga aliviando a dor, e acorda mais lixo do que o dia anterior, e aprendi tambem com essas pessoas, que LIMITAÇÕES, é o que nos tornam HUMANOS, e que isso por si só basta, e que inventamos super Herois, para alivias nossa angustia de srmos limitrofes, eu desconheço um Criador, eu aprendo com eles, o ALÉM HOMEM, esse sim deve ser superado.
Bom quanto meus anos de vida, anos que fazem parte de toda a minha existência, o que conta toda a minha trajetória nesse mundo imundo de poeira que me faz perceber sempre que o amanha existe e que eu posso ser feliz.
Idade sao números inventados pelo homem para contar sua existencia na terra.


Feliz aniversario para mim!!!!!!!!!

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Não vou deixar que conquiste o impossivel por mim

Hoje eu acordei com uma vontade enorme de sair e andar sem direção
Sem destino e sem medo da morte
Simplesmente andar e seguir o que mandar o meu coração
Eu sempre fui um cara de sorte

E tudo que conquisto é com o suor do meu trabalho
Eu nunca e rendi, nao desisti, nao me calei e nao me deixei levar
Por essas correntes que me prendem os pés, ahhh eu arrebentei com os dentes

Hoje eu acordei com uma vontade enorme de olhar no fundo de seus olhos
E te pedir perdão
Por tudo que falei sobre o amor,  sobre nós dois, sobre o mundo
As vezes eu perco a razão

É que eu não reparei quando você me protegia em silêncio
E eu não soube expressar o meu carinho e meu amor com palavras de novela
Mas é ai que a gente cresce e passa dar valor em quem esta perto

Eu vim dizer
Que eu voltei
Que aqui é o meu lugar
Não vou deixar que alguém
Conquiste o impossivel por mim, Não vou deixar
Conquiste o impossivel para mim, não vou deixar

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Ano Novo!
Ano que começa um ciclo
e termina de novo
As diferenças são para os fracos
A sociedade nos ensina
mas fazemos nossas proprias sinas
Me renovo. me reconstruo
a cada arame farpado
Renasço
Parte de mim é uma solidão
que mudo e encontro sabedoria
Aprendi que a vida é vivida
com rodas de amigos e familia

















O que seria de nós sem a nossa percepção
que a cada caminho a ser escolhido não faz sentido
sem que as pessoas que nos ofertam o amor puro
estivessem longe, distante
bem mais distante que nossos olhos possam alcançar
sem uma mao para ajudar
atravessar a ponte que nos separa da linha que cerca o mar
um ciclo começou
onde outro terminou
Mas e daí, tudo se renova, se faz novo
as pessoas que convivemos também
e que juntos possamos nos abraçar, comemorar, festejar
sem que haja datas comemorativas para nos encontrar
e juntos vamos celebrar


















Sem nenhum motivo específico
apenas o simples fato de estarmos vivo
e isso fazemos muito bem
o ano novo é apenas mais um ano a ser descoberto
um ano incerto, cheio de dúvidas e incertezas
mas navegar é preciso
e a escuridão. é algo a ser descoberto
e EU
vou seguindo
vagando pela contramão
deixando pegadas bem marcadas
seguindo em frente
rodando com o mundo
pois sou correria mas também sou vagabundo
e se quer saber mais
EU SOU ASSIM






















IGUAL A MIM!
























Coragem e muita luz a todos!
Que possamos enfrentar nossos obstáculos de cabeça erguida!

Muita luz!